Guilda Harbingers of Chaos

Forum para membros da guild Harbingers of Chaos Wow-Brasil
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Capítulo 2

Ir em baixo 
AutorMensagem
Zackaryn
Admin
avatar

Mensagens : 101
Data de inscrição : 18/12/2009
Idade : 29
Localização : São Paulo

MensagemAssunto: Capítulo 2   7/4/2010, 10:42

CAPÍTULO 2 - PARTE I

O Novo Mundo

Fundando Quel’Thalas

6.800 anos antes de Warcraft I


Exílio I : À Procura de um novo Lar

Os "Elfos Superiores" , conduzidos por Dath’Remar , deixaram Kalimdor para trás e desafiaram as tempestades do Maelstrom . Sua frota desbravou os mares por muito tempo , a procura de uma boa terra para fundar uma nova pátria .

Após atravessar o grande mar , a frota élfica finalmente aportou na região ao norte dos Reinos do Leste , nas praias dos reinos dos homens , região que viria ser chamada de Lordaeron.




Explorado continente adentro daquela região , os "Elfos Superiores" fundaram uma colônia dentro das tranqüilas Clareiras de Tirisfal ( Tirisfal Glades ).



Depois de alguns anos estabelecidos nessa região , muitos deles começaram se tornar insanos . Levantou-se a suspeita de que algo maléfico estava adormecido debaixo daquelas terras , mas nada disso foi provado . Diante dessa ameaça de insanidade , e por recomendação dos anciãos ,os Elfos Superiores levantaram seus acampamentos e se moveram em direção às terras mais ao nordeste .



Mudança de aspecto dos elfos : Embora Dath’Remar ainda carregasse um frasco mágico com águas da fonte da eternidade , era preciso certeza sobre o local aonde este frasco seria jogado , pois era único . À medida que os Elfos Superiores cruzavam as terras escarpadas e montanhosas de Lordaeron , buscando uma terra apropriada para estabelecerem uma colònia , a viagem ficava cada vez mais perigosa . Já sem os poderes das energias das águas Fonte da Eternidade , eles não eram mais imortais ou imunes aos elementos da natureza e muitos deles caíram doentes pelo clima gelado ou morreram de fome . Eles também encolheram um pouco em altura, e sua pele perdeu a cor violeta característica dos Elfos Noturnos , adquirindo uma coloração mais clara .


Apesar de seus inúmeros sofrimentos , eles encontraram muitas criaturas maravilhosas que nunca tinham sido vistas em Kalimdor . Eles também descobriram tribos humanas primitivas que caçavam ao longo das antigas florestas. Os seres humanos nesta época ainda mal tinham saído da sua pré-história e começavam a se organizar em tribos , não representando perigo importante para eles , uma raça élfica milenar .

Porém, a ameaça mais mortal que eles encontraram foram os vorazes e ardilosos seres chamados Trolls , da floresta de Zul’Aman. Nesta floresta localizava-se a cidade de Zul’Aman , a grande cidade dos Trolls , capital do império Troll de Amani .

Os Trolls

Os Trolls são antigos seres humanóides , altos e musculosos , com grande capacidade de regenerar membros perdidos e mutilados , e com o poder de se curar de profundos danos físicos . Eles há muito tempo existiam sobre o planeta de Azeroth . Os Trolls mais antigos que se tem notícia pertenciam à tribo Zandalar , da qual todas as outras numerosas tribos descenderam . Nesta época , cerca de 16 mil anos antes da primeira guerra de Warcraft I , bem antes do aparecimento dos Elfos Noturnos , eles chegaram a ocupar a maior parte de Kalimdor , que neste período era um único e grande continente . A partir da tribo Zandalar , devido a dissidências internas , numerosas pequenas tribos autônomas se formaram , e dois grandes impérios Trolls surgiram : O império Gurubashi , nas selvas do sul , e o grande império Amani das florestas centrais de Kalimdor . Embora os dois impérios não mantivessem grandes laços de fraternidade , dificilmente entravam em guerra entre si . Curiosamente , textos antigos falam a respeito de uma pequena facção dissidente do império Amani que teria fundado uma colônia isolada no coração do antigo continente escuro de Kalimdor . Estes bravos pioneiros teriam descoberto o lago cósmico ou a Fonte da Eternidade e graças a isto teriam sofrido poderosas transformações . Algumas lendas sugerem que estes Trolls aventureiros mutantes na verdade foram os primeiros Elfos Noturnos , embora esta hipótese não tenha sido provada . Apesar das raízes incertas dos Elfos Noturnos , o certo é que logo após a descoberta do grande e poderoso lago místico por certos seres humanóides , a civilização dos Elfos Noturnos apareceu em cena e rapidamente se expandiu pelo continente de Kalimdor , logo entrando em colisão com os Trolls . Estes , apesar de tentarem conter a ocupação de seus territórios , viam a poderosa civilização dos Elfos Noturnos expandir-se rapidamente sobre suas terras . A batalha foi inevitável , mas curta , devido ao imenso poderio mágico dos Elfos Noturnos , às custas do lago mágico . Poderio este que atrairia as Legiões demoníacas de Sargeras , levando à grande destruição do lago cósmico e quase extinção de todos . Após este grande conflito , conhecido como a Guerra dos Antigos , e a divisão da grande massa do continente primordial em 3 grandes continentes ( Kalimdor , azeroth e Northrend ) , o centro do continente submergiu e foi invadido pelas águas do oceano . Remanescentes do dois impérios Trolls sobreviveram no continente de Azeroth : o império Amani , nas florestas de Zul’Aman , ao norte , e o império Gurubashi , ao sul , nas selvas de Stranglethorn .
Infelizmente , o império de Amani com o qual os Elfos Superiores cruzaram em sua jornada , consistia de Trolls que mostravam ser de uma raça selvagem , bárbara e má . Hostilizavam a qualquer viajante em suas terras e com os Elfos não foi diferente . Os Trolls iniciaram uma guerra para expulsar os estranhos de suas terras . Muitos elfos superiores foram chacinados em emboscadas e um ódio profundo nasceu entre as duas raças .
Dath’Remar , que tinha assumido o nome Sunstrider (ou seja "aquele que caminha de dia") , continuava sua busca território adentro para um lugar para seu povo . Depois de muitos anos, os Elfos Superiores finalmente acharam uma terra que era recordativa de Kalimdor . Bem dentro das florestas do norte do continente de Azeroth , eles fundaram o reino de Quel’Thalas e juraram criar um império tão poderoso que enfezaria seus primos de Kalimdor . Dath’Remar tinha secretamente em sua posse um dos frascos de Illidam , carregado com água mágica da primeira fonte da eternidade . Com isso os Elfos superiores reconstituíram em sua nova terra os poderes das águas da Fonte da Eternidade . Um novo poço foi criado , chamado por eles de "the Sunwell" ( a Fonte do Sol ) . O "Sunwell" nasceu , e com ele poder sem fim . Os Highbornes alimentados pela energia arcana deste poço tornaram-se capazes de alterar cada centímetro da nova terra , o clima , a vida selvagem , as florestas e tudo o que quisessem controlar .
Infelizmente logo eles descobririam que Quel’Thalas foi fundada em cima de uma antiga cidade de Trolls , considerada sagrada por eles . Quase imediatamente, os Trolls possessos pela blasfêmia dos elfos começaram a atacá-los para se vingar de tamanha profanação . Os Elfos Superiores , cansados de peregrinar , estavam pouco dispostos a deixar sua nova terra , e utilizaram as magias do "Sunwell" para manter os Trolls selvagens à distância. Sob a liderança de Dath’Remar ( Sunstrider ) , eles foram capazes de derrotar os Bandos de Trolls que investiam contra Quel’Thalas, mesmo com os Trolls excedendo em número (dez para um). Alguns Elfos, cautelosos das advertências antigas do Kaldorei, que o uso de magias poderia chamar a atenção da banida Legião Flamejante , decidiram mascarar suas terras dentro de uma barreira protetora que lhes permitiria trabalhar os seus encantos , sem emanar sinais de magia para fora daquela barreira . Eles construíram uma série de monolitos chamados "Runestones" , em vários pontos ao redor de Quel’Thalas , que marcavam os limites da barreira mágica. As Runestones não só mascaravam a magia dos Elfos de ameaças extra-dimensionais, mas ajudavam a amedrontar e expulsar os Trolls .
Com o tempo, Quel’Thalas se tornou um monumento vivo dos esforços dos Elfos Superiores e da força mágica. Seus belos palácios foram feitos no mesmo estilo arquitetônico dos corredores antigos de Kalimdor, contudo eles foram entrelaçados com a topografia natural da terra. Quel’Thalas tinha se tornado a desejada jóia ilustrando o que os Elfos superiores tinham desejado criar. O Conselho de Silvermoon foi fundado como o poder governante de Quel’Thalas , entretanto a Dinastia de Sunstrider manteve algum poder político. Composto de sete dos maiores Elfos Superiores, o Conselho trabalhou para garantir a segurança das terras élficas e de seus habitantes . Cercado por sua barreira protetora, os Elfos Superiores permaneceram impassíveis pelas velhas advertências dos Kaldorei e continuaram usando magia notoriamente em quase todos aspectos de suas vidas.
Durante quase quatro mil anos os Elfos Superiores viveram pacificamente dentro da segurança provida de seu reino. Não obstante, os Trolls vingativos não seriam tão facilmente derrotados. Eles conspiravam e planejavam nas profundidades das florestas e esperaram pelo aumento de seus exércitos . Finalmente, os exércitos de Trolls poderosos saíram das florestas sombrias , uma vez mais indo em direção aos pináculos de Quel’Thalas .
Arathor e as Guerras dos Trolls - 2.800 anos antes de Warcraft I
Enquanto os Elfos Superiores travavam uma guerra por suas vidas e por suas terras contra os ataques ferozes das hordas de Trolls fanáticos , os humanos nômades de Lordaeron começavam a lutar para consolidar suas próprias terras tribais . Estas tribos dos primórdios da humanidade , atacavam-se entre si , movidos pela ganância de novas terras , sem a preocupação de unificação racial dos homens . Uma tribo humana , conhecida como Arathi , obervava que os Trolls estavam ficando muito poderosos , uma verdadeira ameaça para se ignorar. A tribo Arathi desejava unir todas as tribos sob seu comando de forma que eles poderiam prover uma frente unificada contra os exércitos dos Trolls.
Em seis anos, os espertos Arathis dominaram todas as tribos humanas rivais. Depois de todas as suas vitórias, os Arathis ofereceram paz e igualdade às tribos conquistadas; assim, eles ganharam à lealdade desses que tinham sido abatidos. A tribo de Arathi agregava muitas tribos discrepantes, e seus exércitos cresceram e ficavam cada vez mais vastos. Confiantes que eles pudessem acabar com os próprios Trolls ou até mesmo os Elfos Superiores ( se houvesse a necessidade) , os Mestres de Guerra de Arathi decidiram construir uma cidade-fortaleza na região ao sul de Lordaeron. A cidade-estado , nomeada Strom, se tornou a capital da nação Arathi , sendo então chamada de Arathor. Como Arathor prosperou os humanos de toda parte do vasto continente viajavam em busca da proteção e segurança de Strom.
Unidos debaixo de uma bandeira, as tribos humanas desenvolveram uma cultura forte e otimista. Thoradin, o rei de Arathor, soube que os Elfos misteriosos do norte estavam debaixo de ataques constantes pelos Trolls, mas se recusou a arriscar a segurança de seus homens em defesa de estranhos reclusos. Porém , rumores vindos do norte acusavam a suposta derrota dos Elfos pelos Trolls . Só quando esgotados embaixadores élficos de Quel’Thalas alcançaram Strom que Thoradin percebeu quão verdadeiramente grande era a ameaça dos Trolls.
Os Elfos informaram Thoradin que os Trolls eram por demais poderosos e que planejavam apontar suas espadas para as terras ao sul , para Arathor e seus habitantes , assim que tivessem destruído e aniquilado Quel’Thalas do mapa . Os Elfos , desesperados pela urgente necessidade de ajuda militar, concordaram em ensinar para alguns poucos humanos a usar magia em troca de sua ajuda contra os Trolls . Thoradin, desconfiado de qualquer magia, concordou em ajudar os Elfos em sua necessidade. Quase imediatamente, os feiticeiros Elfos chegaram a Arathor e começaram a instruir um grupo de humanos dos segredos da magia.
Os Elfos acharam que embora os humanos fossem inicialmente desajeitados na manipulação de suas magias, eles possuíam uma surpreendente afinidade natural por ela. Cem homens foram ensinados com os mesmos fundamentos dos segredos mágicos dos Elfos : nada mais que o necessário combater os Trolls. Convencido que seus estudantes humanos estavam prontos para ajudar na luta, os Elfos partiram de Strom para o norte acompanhados de um poderoso exército humano de magos e guerreiros do Rei Thoradin.
Os Elfos unidos aos exércitos humanos colidiram de frente contra a hordas de guerra dos Trolls ao pé das Montanhas de Alterac. A batalha durou muitos dias, mas os exércitos incansáveis de Arathor nunca deram uma polegada de chão antes aos Trolls. Os cem Magos Humanos e uma multidão de feiticeiros Elfos chamaram a fúria dos céus e massacraram os exércitos dos Trolls . Os fogos elementares impediam os Trolls de regenerarem suas feridas enquanto um a um tobavam .
Com o exército de Trolls aniquilado e tentando fugir, os exércitos de Thoradin os seguiram e mataram os últimos dos seus soldados. Os Trolls nunca se recuperariam completamente de sua derrota, e a história nunca mais veria os Trolls se reerguerem novamente como uma nação grandiosa . Com Quel’Thalas a salvo da destruição, os Elfos fizeram um voto de lealdade e amizade à nação de Arathor e para a linhagem de seu rei, Thoradin. Os humanos e Elfos criaram relações de amizade por várias eras que se seguiriam.


Última edição por Zackaryn em 7/4/2010, 13:17, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.stefanellotech.hd1.com.br
Zackaryn
Admin
avatar

Mensagens : 101
Data de inscrição : 18/12/2009
Idade : 29
Localização : São Paulo

MensagemAssunto: Re: Capítulo 2   7/4/2010, 10:48

Capítulo 2 - Parte II

Os Guardiões de Tirisfal - 2.700 anos antes de Warcraft I

Com o expurgo dos Trolls das terras do norte , os Elfos de Quel’Thalas dobraram seus esforços para reconstruir a sua gloriosa pátria. Os exércitos vitoriosos de Arathor voltaram para casa em Strom . A sociedade humana de Arathor cresceu e prosperou . Contudo o rei Thoradin , temendo que seu reino se separasse caso continuasse a se expandir , manteve Strom como centro do império de Arathorian . Depois de muitos anos calmos de crescimento e comércio, o poderoso Thoradin morreu de velhice, deixando as gerações mais jovens de Arathor livre para ampliar o seu império além das terras de Strom.
Os cem magos originais que foram ensinados nos modos de magia pelos Elfos ampliaram seus poderes e estudaram as disciplinas místicas dos feitiços muito mais detalhadamente. Estes magos, inicialmente escolhidos por sua força de vontade e espíritos nobres, sempre tinham praticado a suas magias com cuidado e responsabilidade; porém, eles passaram seus segredos e poderes para uma nova geração que não tinha tanto senso de responsabilidade nem humildade . Estes mágicos mais jovens começaram a praticar magia para seu ganho pessoal , sem qualquer responsabilidade para com a classe .
Como o império humano crescia e se expandia para novas terras, os jovens mágicos também se esparramaram nas terras do sul . Brandindo seus poderes místicos, os mágicos ajudaram seus irmãos das criaturas selvagens da terra e tornaram possível a construção da nova capital na selva. Ainda, com mais conhecimento e poderes, os magos sempre ficavam mais convencidos e isolados do resto da sociedade.
A segunda capital de Arathorian foi Dalaran fundada no norte das terras de Strom. Muitos feiticeiros fugidos deixaram para trás as restrições e enclausuramentos de Strom e viajaram a Dalaran onde eles esperavam poder usar seus novos poderes com maior liberdade. Estes magos usaram suas habilidades para construir os pináculos encantados de Dalaran e se aprofundavam mais e mais em seus estudos. Os cidadãos de Dalaran toleravam os empenhos dos magos e construíram uma economia sob a proteção dos magos defensores. Assim , cada vez mais os magos praticavam suas artes livremente ao redor de Dalaran .
Os agentes sinistros da "Burning Legion" , a qual tinha sido banida quando a Fonte da Eternidade se desmoronou , foram atraídos pelos indiscriminados feitiços praticados pelos magos em Dalaran . Embora estes agentes demoníacos fossem relativamente fracos e não possuíssem muito vigor, eles causavam confusão e caos considerável nas ruas de Dalaran. A maioria destes encontros endiabrados eram eventos isolados, e o Magocrata governante fez o que pode para manter tais eventos escondidos do público. Os magos mais poderosos foram enviados para capturar os demônios errantes .
Depois de alguns meses os camponeses supersticiosos começaram a suspeitar que a ordem dos magos estivesse escondendo algo terrível deles. Rumores de uma revolução começaram a se espalhar pelas ruas de Dalaran . Os cidadãos paranóicos com os acontecimentos agora questionavam os motivos e as práticas dos magos , os quais antes eles tanto admiravam . O Magocrata, temendo que os camponeses se revoltassem e que Strom entrasse em ação contra eles, procurou a única possível resposta para a solução dos problemas : os Elfos de Quel’Thalas .
Ao ouvir as notícias do Magocrata, de que havia atividades malignas em Dalaran , atraídas pelo uso abusivo da magia , os Elfos despacharam rapidamente seus feiticeiros mais poderosos para as terras humanas. Os feiticeiros Elfos estudaram as correntes de energia em Dalaran e fizeram relatórios detalhados de toda atividade maléfica encontrada por ali . Concluíram que embora houvesse só alguns demônios soltos no mundo, a Legião permaneceria uma ameaça cada vez mais perto , com os humanos soltando e brandindo suas magias e feitiços de maneira irresponsável .
O Conselho de Silvermoon ,que governava os Elfos de Quel’Thalas , firmaram um pacto secreto com o Magocrata de Dalaran. Os Elfos contaram para o Magocrata sobre a história de Kalimdor , a civilização milenar dos Elfos Noturnos e a antiga "Burning Legion" , uma história que ainda ameaçava o mundo. Eles informaram aos humanos que se eles usassem magias, eles precisariam proteger seus cidadãos coletivamente dos agentes malignos da Legião. O Magocrata propôs a idéia de autorizar um único campeão mortal que utilizaria seus poderes coletivos para lutar uma guerra secreta e sem fim contra a Legião. Ficou combinado entre eles que a maioria dos seres humanos comuns nunca soubesse sobre a ameaça da Legião Flamejante , por temerem a revolta , por medo e paranóia , dos camponeses e dos humanos não-magos . Os Elfos aceitaram a proposta e fundaram uma sociedade secreta que assistiria a forma de seleção do Guardião e ajudaria a parar a propagação do caos no mundo.
A sociedade celebrava suas reuniões secretas nas Clareiras escuras de Tirisfal , que era o lugar onde os Elfos Superiores tinham feito seu primeiro acampamento em Lordaeron , ao chegar pela primeira vez vindos de Kalimdor . Assim, eles nomearam a seita secreta de "Os Guardiões de Tirisfal". Foram muitos os campeões mortais que foram escolhidos para ser o Guardião , com poderes incríveis dos Elfos e a magia humana. Embora só houvesse um Guardião de cada vez, eles possuíam tanto poder acumulado de duas raças , que eles poderiam lutar sem dificuldade contra os agentes da Legião do Mal . O poder do Guardião era tão grande que só o Conselho de Tirisfal foi permitido escolher os sucessores em potencial de tal cargo. Sempre que um Guardião ficava muito velho ou cansado da guerra secreta contra caos , o Conselho escolhia um novo campeão, sobre condições controladas, e formalmente eles passavam o poder do Guardião para um novo agente.
Com o passar das gerações, os Guardiões defenderam a humanidade da ameaça invisível da "Burning Legion" ao longo das terras de Arathor e Quel’Thalas. Arathor cresceu e prosperou junto com o uso e a expansão da magia ao longo do império. Enquanto isso, os Guardiões mantiveram-se alertas e cuidadosos para sinais de atividade endiabrada.
Ironforge - o Despertar do Anões - 2.500 anos antes de Warcraft I
Em eras remotas , após os Titãs partirem de Azeroth , seus filhos , conhecidos como térreos , que habitavam os subterrâneos , continuaram moldando e vigiando o mundo . Os térreos não se preocupavam com os acontecimentos das raças da superfície terrestre e só desejavam explorar as profundezas escuras da terra .
Quando o mundo foi dividido pela implosão da Fonte da Eternidade , os térreos foram profundamente afetados . Absorvendo as dores da fragmentação do continente , os térreos perderam grande parte de sua identidade e de seus objetivos . Para se recuperarem e se protegerem de outra catástrofe , eles fecharam a si próprios em câmaras de pedra , localizadas dentro das milenares cidades Titãs subterrâneas , onde foram originalmente criados . Uldaman, Uldum, Ulduar. . . eram os nomes das cidades Titãs subterrâneas onde os Titãs viviam , na época do amoldamento de Azeroth , e onde os térreos nasceram e tomaram forma . Enterrando-se nas profundezas do mundo, os térreos descansaram em paz por quase oito mil anos .
Embora esteja incerto o que os despertou , os térreos que estavam lacrados dentro da cidade de Uldaman , vieram a acordar da hibernação auto-imposta . Estes térreos surpreenderam-se com as modificações corporais que tinham sofrido durante seu longo sono . As suas peles , antes rochosas , tinham amolecido e se tornado pele lisa , e seus poderes e habilidades sobre pedra e a terra tinham minguado . Elas tinham se tornado criaturas mortais.
Auto-denominando-se ANÕES , os outrora térreos atravessaram os corredores de Uldaman e arriscaram-se a andar no mundo exterior pela primeira vez . Uma vez lá fora , procuraram estabelecer um reino . Sempre apaixonados pelas maravilhas das profundezas da terra e para a segurança e proteção dos seus , eles fundaram um vasto reino debaixo da montanha mais alta da terra. Eles nomearam sua terra de Khaz Modan, ou "Montanha de Khaz", em honra ao Titã moldador , Khaz’goroth . Então , construindo um altar para seu pai Titã , os anões fizeram uma forja poderosa dentro do coração da montanha (Forja é uma fornalha de que se servem os ferreiros e outros artífices para incandescer os metais para serem trabalhados numa bigorna ). Assim, a cidade que cresceu ao redor da forja viria um dia a ser chamada Ironforge.
Os anões eram fascinados por natureza com o moldar de gemas e pedras . Mineraram as montanhas da região buscando riquezas e metais preciosos. Contentes com o seu trabalho no subsolo do mundo, mantiveram-se isolados dos assuntos dos seus vizinhos da superfície por um longo tempo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.stefanellotech.hd1.com.br
Zackaryn
Admin
avatar

Mensagens : 101
Data de inscrição : 18/12/2009
Idade : 29
Localização : São Paulo

MensagemAssunto: Re: Capítulo 2   7/4/2010, 10:59

Capítulo 2 - Parte III

O Fim do Império Arathor e o Surgimento dos Sete Reinos - 1.200 anos antes de Warcraft I


( Lordaeron , Dalaran , Alterac , Gilneas , Kul Tiras , Stromgarde e Stormwind )

Strom continuou a ser o centro de Arathor , mas tal como Dalaran, muitas cidades apareceram ao longo do continente de Lordaeron . Gilneas, Alterac, e Kul Tiras foram as primeiras a aparecer . As cidades neste tempo eram organizadas politicamente como CIDADES-ESTADO . Tinham seus costumes e comércio próprios , possuíam administração local independente , mas todas mantinham-se sob a autoridade do Rei de Strom .
Sob o vigilante Conselho de Tirisfal , Dalaran tornou-se o principal centro de aprendizagem de magia . Os Magocratas que governaram Dalaran fundaram uma seita chamada Kirin Tor , que ficou encarregada de catalogar e investigar todas as magias, artefatos e objetos mágicos conhecidos pela humanidade.
Gilneas e Alterac tornaram-se fortes assistentes de Strom e desenvolveram poderosos exércitos que exploravam a região montanhosa a sul de Khaz Modan . Foi durante este período que os humanos pela primeira vez encontraram os anões e viajaram até a cidade de Ironforge . Aí partilharam segredos de engenharia e de trabalho com o metal e descobriram o amor em comum pelas guerras e pelos contos de histórias .
A cidade-estado de Kul Tiras, fundada numa grande ilha a sul de Lordaeron , desenvolveu uma próspera economia baseada na pesca e no transporte marítimo . Com o tempo, Kul Tiras construiu uma poderosa armada mercantil e que viajava pelo desconhecido à procura de novos produtos exóticos para trocar e vender. Apesar da economia de Arathor crescer, os seus fortes elementos começariam a desintegrar-se .
Após algum tempo, vários Lords de Strom procuraram adquirir terras mais ao norte de Lordaeron , terras bem mais férteis e exuberantes que as áridas terras do sul . Os herdeiros do rei Thoradin, os últimos descendentes da linhagem de Arathi , argumentaram que Strom não deveria ser abandonada . Contudo os Lords de Strom , e boa parte dos habitantes locais , procurando novos horizontes , riquezas e aventuras , decidiram deixar a sua antiga cidade . Bastante ao norte de Dalaran , construíram uma nova cidade-estado que chamariam de Lordaeron . O continente inteiro teria o nome a partir desta cidade. Lordaeron tornou-se uma meca para viajantes religiosos e para aqueles que procuravam paz interior e segurança.
Os descendentes de Arathi , abandonados entre as paredes da antiga Strom, decidiram viajar para sul de Khaz Modan . A sua jornada finalmente acabou após longas estações, e ficaram na parte mais a norte da região do continente que iriam chamar Azeroth . No fértil vale fundaram o reino de Stormwind , que rapidamente se tornou auto-suficiente .
Alguns guerreiros que ficaram em Strom decidiram manter e guardar as antigas muralhas da cidade. Strom não era mais o centro do império, e passou a ser chamada de Stromgarde.
Com cada cidade prosperando por si mesma , o império de Arathor desintegrou-se por completo . Cada cidade-estado desenvolvia seus costumes e crenças particulares e cada vez mais afastavam-se umas das outras , tornando-se por fim Sete Reinos independentes : Lordaeron , Dalaran , Alterac , Gilneas , Kul Tiras , Stromgarde e Stormwind .
A visão do rei Thoradin de unificar a humanidade tinha finalmente desaparecido .

Aegwynn e a Caça ao Dragão - 823 anos antes de Warcraft I

Enquanto o Reino de Arathor se dividia em Sete Reinos Independentes , os Guardiões de Tirisfal mantinham a sua constante luta secreta contra o caos , transmitida de geração em geração . Houve muitos guardiões ao longo dos anos. Um dos últimos guardiões da era destacou-se pela na luta contra as trevas . Aegwynn, uma humana , ganhou a aprovação da ordem e lhe foi dado um imenso poder. Ela trabalhou na caça e erradicação dos demônios onde quer que eles aparecessem pelo mundo , mas questionava a autoridade masculina que dominava o Conselho de Tirisfal.
Ela acreditava que os anciãos Elfos e humanos que presidiam o Conselho eram demasiados rígidos na maneira de pensar e não competentes o suficiente para darem um fim decisivo no conflito contra o caos. Impaciente pelas longas discussões e debates, Aegwynn demonstraria um valor além da compreensão em situações cruciais.
Ao controlar melhor o poder cósmico de Tirisfal , Aegwynn tomou conhecimento de vários poderosos demônios que estavam no continente gelado a norte , no continente de Northrend . Viajando para o distante norte, Aegwynn seguiu os demônios até às montanhas , e lá constatou que eles estavam a caça dos últimos antigos dragões guardiões sobreviventes . Os demônios procuravam drenar dos dragões suas energias vitais e seus poderes ancestrais . Os poderosos dragões, que tinham se escondido dos avanços da sociedade , agora encontravam-se ameaçados pela força negra da Legião do Mal .
Mas assim que o último demônio foi banido do mundo mortal , uma tempestade terrível tremeu os céus do norte e uma terrível visão surgiu nos céus de Northrend : Sargeras , o supremo Rei-Demônio e Comandante da Legião Flamejante , apareceu nos céus perante Aegwynn . Sargeras disse a Aegwynn que o tempo de Tirisfal havia chegado ao fim , e que o mundo seria muito em breve devorado pela Legião .
A orgulhosa Aegwynn , acreditando ser capaz de derrotar sozinha um Titã-negro , despejou sua fúria mágica contra Sargeras . Com desconcertante facilidade ela destruiu a forma física do maligno ser. Temendo que seu espírito imundo permanecesse vivo após sua suposta destruição física , a tola Aegwynn fechou aquela carcaça sem vida do corpo de Sargeras dentro de um grande salão milenar em ruínas . Este lugar era na verdade ruínas do antigo continente de Kalimdor , que jazia no fundo do mar , após o colapso do mundo quando da destruição da Fonte da Eternidade . Aegwynn nunca suspeitaria que tinha feito exatamente o que Sargeras tinha planejado , selando o destino do mundo mortal . Sargeras , no exato momento da sua morte corporal , transferiu o seu espírito imundo para o fadigado corpo da jovem guardiã, sem o seu conhecimento. Sargeras iria permanecer escondido nos cantos obscuros de sua alma por longos anos até quando fosse chegada a hora .

A Guerra dos Três Martelos - 230 anos antes de Warcraft I


Os anões da montanha de Ironforge viveram em paz por muitos séculos. No entanto a sua sociedade crescera demasiadamente dentro das suas cidades . Apesar do poderoso rei , Modimus Anvilmar , governar todos os anões com justiça e sabedoria, três poderosas facções apareceram dentro da sociedade dos anões , mesmo sendo todos ele primos entre si .
O clã Bronzebeard, governando por Thane Madoran Bronzebeard, mantinha laços próximos com o rei e manteve-se como tradicional defensor da montanha Ironforge. O clã Wildhammer, governando por Thane Khardros Wildhammer, que habitava a base e precipícios da montanha e procurava ganhar mais controle sobre as cidades no interior. O Terceiro clã , os Dark Iron, era governado pelo mago-anão Thaurissan. Os Dark Iron escondiam-se nas profundas sombrias debaixo da montanha e conspiravam contra os Bronzebeard e os Wildhammer.
Por algum tempo as três facções mantiveram uma tênue paz, mas tensões surgiram quando o rei Anvilmar morreu de velhice. Os três clãs governantes entraram em guerra pelo controle de Ironforge. A guerra civil dos anões durou por muitos anos debaixo da terra . Eventualmente , os Bronzebeards , que tinham o maior exército , baniram os Dark Irons e Wildhammers da montanha .
Khardros e os seus guerreiros Wildhammer viajaram para norte através dos portões de Dun Algaz, e descobriram o seu próprio reino no distante pico de Grim Batol. Lá, os Wildhammer reconstruíram os tesouros e prosperaram. Taurissan e os seus Dark Iron não aceitaram tão bem a derrrota . Humilhados e enraivecidos pela derrota, eles prometeram vingança contra Ironforge. Thaurissan fundou uma cidade com o seu nome dentro das belas montanhas de Redridge , a sul. Ele e a sua mulher feiticeira, Modgud , lançaram dois assaltos contra Ironforge e Grim Batol pois , os Dark Irons queriam controlar toda a zona de Khaz Modan .
Os exércitos de Dark Iron foram ao encontro das fortalezas de seus primos e quase tomaram ambos os reinos. No entanto Madoran Bronzebeard liderou o seu clã numa vitória decisiva sobre o exército de Thaurissan. Thaurissan e seus servidores fugiram de volta para a segurança de sua cidade, desconhecendo os acontecimentos em Grim Batol onde o exército de Modgud não estava a fazer melhor contra Khardros e os guerreiros de Wildhammer.
Ao confrontar os guerreiros, Modgud usou os seus poderes para criar medo nos seus corações. Sombras mexiam ao seu comando, e coisas obscuras saíram das profundezas da terra para perseguir os Wildhammer nas suas muralhas. Eventualmente Modgud quebrou os portões e pôs a fortaleza sob cerco. Os Wildhammer lutaram desesperadamente, e Khardros conseguiu matar a rainha feiticeira. Com a sua rainha morta, os Dark Iron fugiram , perante a fúria dos Wildhammer , para sul, mas apenas para encontrar o exército de Ironforge que se dirigia para Grim Batol para ajudar os primos anões . Encurralados entre dois exércitos os restantes Dark Iron foram rapidamente destruídos.
As forças combinadas de Ironforge e Grim Batol foram então para sul. Com o intuito de destruir Thaurissan e os Dark Irons de uma vez por todas. Não tinham ido muito longe quando Thaurissan fez um feitiço de proporções catastróficas. Procurando chamar uma criatura colossal que iria assegurar a sua vitória, Thaurissan invocou pelo antigo poder adormecido do submundo. Para sua surpresa, a criatura que imergiu era mais terrível que qualquer pesadelo que poderia imaginar.
Ragnaros, O Senhor do Fogo, imortal senhor de todos os elementais de fogo, tinha sido banido pelos Titãs quando o mundo ainda era jovem. Agora, liberto pelo chamamento de Thaurissan, Ragnaros desfez as montanhas de Redridge ao norte e criou um violento vulcão no centro da devastação. O vulcão, conhecido por Blackrock Spire, fez fronteira com Searing Gorge a norte e Burning Steppes a sul. Apesar de Thaurissan ter sido morto pela força que libertou, os seus súbditos sobreviventes foram escravizados por Ragnaros e seus servos elementais e permanecem em Blackrock Spire até hoje...
Ao verem a horrível destruição e fogo a espalhar pelas montanhas a sul, o Rei Madoran e Rei Khadros retrocederam o ataque, regressando aos seus reinos, sem vontade de enfrentar a incrível raiva de Ragnaros .
Os Bronzebeards regressaram a Ironforge e reconstruíram a sua gloriosa cidade. Os Wildhammers regressaram também para sua casa em Grim Batol, mas a morte de Modgul tinha deixado uma mancha negra fortaleza dos Wildhammers, tornando-a inabitável. Ficaram muito magoados pela perda da sua amada fortaleza. Sensibilizado , o rei Bronzebeard ofereceu um sítio dentro das fronteiras de Ironforge para eles viverem, mas os Whildhammers recusaram. Khadros levou o seu povo para norte na direção de Lordaeron. Nas exuberantes florestas de Hinterlands , os Wildhammers criaram a cidade Aerie Peak, onde eles cresceram mais perto da natureza e até criaram ligações com os poderosos gryphons da área . É desta época a domesticação dos Grifos para viagens aéreas .
Procurando reter relações e comércio com os seus primos, os anões de Ironforge construíram dois massivos arcos, chamados de Thandol Span, que consistia em uma grande ponte entre Khaz e Lordaeron. Com o comércio, ambos os reinos prosperaram. Após as mortes de Madoran e Khardros, os seus filhos mandaram fazer juntas duas grandes estátuas em honra dos seus pais. As duas estatuas ficariam a guardar a passagem para sul, onde estava à presença vulcânica de Ragnaros . Ambas as estátuas serviam como aviso para quem ousasse atacar os reinos dos anões, lembrando o que aconteceu em tempos antigos...
Os dois reinos mantiveram estreitos laços por alguns anos, mas os Wildhammer tinham sido terrivelmente marcados pelos horrores que tinham visto em Grim Batol. Eles preferiram viver sob o chão na sua cidade Aerie Peak, em vez de perfurarem o reino entre as montanhas. As duas ideologias diferentes levaram os dois clãs de anões a se distanciarem cada vez mais .

O Último Guardião - 45 anos antes do Warcraft I


A guardiã Aegwynn foi ficando cada vez mais poderosa com o passar dos anos e usou os poderes de Tirisfal para prolongar a sua vida às custas de magia . Acreditando que tinha derrotado Sargeras para sempre, ela continuou a proteger o mundo dos demônios durante quase novecentos anos. No entanto, o conselho de Tirisfal finalmente decretou que a sua missão já tinha chegado ao fim. O conselho decidiu que ela voltasse a Dalaran para que sefosse escolhido um novo sucessor. Mas, Aegwynn, sempre desconfiada do conselho , e embriagada pelo poder e pela longevidade artificial , queria escolher seu próprio sucessor.
A orgulhosa Aegwynn planejou ter um filho para quem ela iria entregar todo o seu poder. Ela não tinha intenção de permitir que a Ordem de Tirisfal indicasse o seu sucessor . Viajando para o sul da nação de Azeroth , ela encontrou o pai perfeito para o seu filho: um hábil mágico conhecido como Nielas Aran . Aran era o conselheiro do rei de Azeroth. Aegwynn seduziu o mago e convenceu-o a dar-lhe um filho. A afinidade por poder de Nielas iria ficar dentro da criança e definiria o trágico futuro que iria acontecer mais tarde.
O tempo passou, e Aegwynn deu à luz o seu filho num sítio isolado. Nomeando o filho Medivh, que significa "guardador de segredos" na linguagem dos High Elves , ela acreditou que o rapaz iria ser o próximo guardião. Infelizmente o maléfico espírito de Sargeras, que se tinha escondido dentro dela, tinha possuído a indefesa criança enquanto estava dentro do ventre da mãe. Aegwynn desconhecia que o mais novo guardião estava já possuído pelo seu maior inimigo...
Aegwynn entregou a criança para ser criado pelo seu pai mortal . Ela então vagou pelo mundo para passar para o pós-vida que esperava por ela. Medivh cresceu e ficou um forte rapaz e não tinha noção do poder potencial que lhe fora passado , tanto do pai como da mãe .
Sargeras esperou até o poder do jovem ser manifestado. Quando Medivh chegou à adolescência, já era conhecido em Azeroth pelos seus poderes mágicos e costumava ir a aventuras com os seus dois amigos: Llane, o príncipe de Azeroth e Anduin Lothar, um dos descendentes da linhagem de Arathi . Os três rapazes constantemente causavam confusão no reino, mas eram apreciados pela maior parte dos cidadãos.
Quando Medivh chegou aos catorze anos o seu grande poder cósmico herdado , que havia dentro dele , veio à tona e passou a combater o espírito de Sargeras que se escondia na sua alma. Medivh caiu num estado caótico de torpor que duraria longos anos , conseqüente à luta interna de sua alma contra o maligno invasor . Quando acordou do estado de coma, descobriu que era já adulto e que os seus amigos tinham se tornado governantes em Azeroth . Apesar de querer usar os seus poderes para proteger a terra que chamava de casa, o escuro espírito de Sargeras distorceu os seus pensamentos e emoções na direção de um fim maligno. Sargeras revelou-se no confuso coração de Medivh , pois sabia que os seus planos para uma segunda invasão do mundo estavam quase completos e que o último guardião do mundo estava sob sua influência ...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.stefanellotech.hd1.com.br
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Capítulo 2   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Capítulo 2
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» [Recrutamento] Seeking Online - Capítulo 1: Aurora e Pecado
» Capítulo 2 - Uma Noite na Taverna
» [Apresentação] Singela Dualidade - Capítulo I
» Capítulo 1 - A Invasão
» Long-gone London: Capítulo V – A fuga para um novo começo

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Guilda Harbingers of Chaos :: World of Warcraft :: História World of Warcraft-
Ir para: